domingo, 30 de maio de 2010


sexta-feira, 28 de maio de 2010

MUNDO ANIMAL

Recebi do famoso Nelson Motta a seguinte crônica que reproduzo na íntegra. Sempre soube que o Nelson era criativo e boa praça, mas nesta ele ganhou minha admiração. Na foto, meu parente enjaulado no Zoo de São Paulo... verdadeira tristeza. (Foto feita pela minha humana)

"Mundo animal

Como parte dos deveres e prazeres de um avô, levei minhas netas ao Jardim Zoológico, o mesmo que me encantara na infância. Na saída, elas estavam meio decepcionadas, e o avô deprimidíssimo.
Os grandes felinos, atração máxima, dormiam prostrados, uns na toca e outros no fundo da jaula. Pareciam dopados, mas me disseram que os tratadores lhes antecipam o almoço para que apaguem e não se perturbem com as multidões de crianças e adultos gritando em frente ao cativeiro. Elas querem ação, e os pobres grandes felinos só querem dormir, talvez sonhar que estão numa savana africana correndo atrás de antílopes.
O velho elefante empoeirado balançava a tromba em desalento. O hipopótamo, talvez com vergonha, estava enfiado no seu abrigo e exibia só a traseira descomunal. Dois pinguins tinham sido comidos, na véspera, por enormes e ferozes cães vira-latas, vindos das matas e favelas vizinhas. Mais ferozes e malandros do que as feras enjauladas, cavaram um túnel sob a cerca e devoraram as aves.
O que há de educativo em ver bichos tristes e humilhados, expostos à visitação pública? É uma perversão do que se vê nos espetaculares documentários da televisão, onde realmente se aprende sobre os animais - e sobre nós mesmos.
Os parques abertos, tipo Kruger ou Simba Safari, são mais humanos para os animais, que vivem livres na natureza e podem ser observados de dentro dos carros pelo público. O cativeiro só se justifica para preservar espécies em extinção, que merecem zoos cinco estrelas para reproduzir, e voltar à vida selvagem.
É espantoso que, em plena era da ecologia, da sustentabilidade e da correção política, ainda existam jardins zoológicos. São provas vivas de crueldade com os animais, deveriam ser extintos. No Rio de Janeiro, a lei já proíbe exibir animais em circos – e é cumprida.
Uma vez sugeri aos amigos do “Casseta & Planeta” um quadro em que animais livres e pacíficos passeavam com seus filhos por um zoológico com jaulas cheias de humanos mentirosos, gananciosos, covardes, sádicos e assassinos. O que mais divertia os filhotes dos macacos era a gaiola dos políticos ladrões".


PS: em SP também não se exibem mais animais em circos.
PS2: conheça e acesse http://sintoniafina.uol.com.br/

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Gato Herói sai em defesa da criança...



Para aqueles que não acreditam...

sábado, 22 de maio de 2010

Humanas!

Às vezes não entendo meus humanos, sobretudo minha humana. Pois é. Toda semana sai de casa e volta com o cabelo solto e esvoaçante que adoro cheirar e passar minhas patinhas. Mas logo em seguida ela prende. É muito estranha essa necessidade de embelezar-se para logo em seguida “desembelezar-se” . Também não gosto nadinha daquele monte de creme que ela passa no rosto, pés e mãos para logo em seguida ir dormir. Depois quer me fazer carinho... não deixo! Sai pra lá! Perco a paciência e dou patadas nela. “ok Simão, não precisa ser grosso” – ela fala. Grosso?! Poxa, minha humana não se toca. Outra coisa que não entendo é porque que ela arranca aqueles pelinhos da sobrancelha se dói? Sei que dói porque escuto lá do meu iglu “au!” “ai”... eu hem! Como é que pode! E quando passa horas no banho? Não sei, caro leitor. Eu me lambo na frente dela para ela aprender como é que faz, que não precisa passar por isso e até dou lambidinhas nela. Mas ela não saca... Dãan! Humanas!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

dia a dia

Nestes dias mais frios eu fico mais quietinho, menos bagunceiro é verdade, mas também... já sou adulto né?!
Outro dia me compraram um brinquedo de criança e ultimamente eu não tenho me entusiasmado muito com ele. Fato é que, na verdade, se trata de querer me enganar para que eu deixe de afiar minhas unhas em qualquer lugar e apenas use este. Isso, esse ai da foto ao lado. É que eu não gosto nadica de nada que me peguem para cortar minhas unhas. Não consigo me acostumar com aquele tec-tec na minha mão. O que gosto mesmo é de ficar na minha cadeira favorita. Gosto tanto que a mãe do humano fez um crochê para proteger a almofada dos meus pelos. Esses humanos têm cada uma! Mas, pouco importa, ficou até mais quentinha... imaginem vocês: a cadeira balança! Depois eu conto mais, agora preciso ir dar uma volta no telhado.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

CONTROLE REMOTO

Ah... como eu queria um desses. Tem dias em que meus humanos não fazem nada do que se espera deles. Hoje, por exemplo, nem abriram a varanda pra eu passear e na hora em que reclamei meu direito ainda tive de ouvir que estava frio... Hello! E esse casaco de pele aqui? Pra que serve?

sábado, 15 de maio de 2010

DEFINIÇÃO

quinta-feira, 13 de maio de 2010

O Herói do Filme...

O Tão aguardado Filme da Disney acabou que teve o Gato Herói. Sim, pois se não fosse o Gato de Cheshire o Chapeleiro Maluco teria perdido a cabeça... Você já foi ver o filme? Pois só vale em 3D...
Mas vá logo, para aplaudir o gato herói.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Ficção de horror...

Sabe aquele dia em que seu humano não deixa você subir na mesa, depois implica com o rearranjo que você está tentando fazer nas plantas e nos enfeites? Sabe aquela mistura de raiva e ódio que você sente quando implicam com seu comportamento e você deseja que todos desapareçam? Sabe? Pois então, alguém resolveu imaginar o mundo sem humanos. O que parece ser um paraíso logo se transforma em terra de ninguém, com coiotes e lobos invadindo a zona urbana, plantas destruindo edifícios e ração sem ser fabricada. Pior, 90% dos animais domésticos morrerão em pouco tempo... Um verdadeiro filme de terror. O mais interessante, no entanto, é que lá em Chernobil tem uma cidade inteira que foi abandonada, evacuada, e que nestes últimos vinte anos não viu ser humano algum. Pois é, deu para os caras terem uma idéia de como o ser humano é dispensável para a saúde e o desenvolvimento da natureza... Excetuando os cães e os gatinhos domésticos...

domingo, 9 de maio de 2010

Brinquedo ideal...

Meu humano encontrou o brinquedo ideal. Depois que eu rolei pela casa toda durante horas, eu ouvi ele explicando para a minha humana que se trata de algo muito simples. Uma espécie de bola de ping-pong ou tênis de mesa se preferirem, (mesmo eu não sabendo a diferença entre estas duas coisas) que através de um pequeno furo recebe algumas pedrinhas (duas ou três já bastam). Posteriormente o furo é tapado com penas coloridas e cola. Muito simples e de resultado absolutamente fantástico. Eu adorei. Posso dizer que não poderiam ter inventado algo melhor.

PS: por enquanto, é o mais perto que eu consegui chegar de um passarinho...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

COMBATE

Recebi carta de uma prima do interior. Conta-me a querida Margarida que em sua cidade muitos estão com Dengue. A princípio pensei ser coisa boa, afinal ser dengoso agrada sempre os humanos. Mas depois de esclarecido fiquei preocupado. Trata-se de doença grave, transmitida por um mosquito que põe os ovos em água parada limpa. A minha água é limpinha e parada e meu humano me explicou que é por isso, entre outras coisas, que ele troca a minha água várias vezes ao dia. Além de trocar ele esfrega bem a vasilha para que nenhum ovo sobreviva. O mais preocupante é que esse mosquito, o Aedes Aegipty, tem hábitos diurnos e, portanto, é mais difícil de se combater. A prefeitura por vezes espalha inseticida com óleo diesel, que faz o maior fumacê, para combater o mosquito adulto, mas as pessoas é que precisam atentar para as possibilidades de reprodução não deixando que água acumule em calhas, vasos, garrafas, pneus e caixas d'água eventualmente destampadas. Agora que eu já sei do que se trata vou ajudar no combate miando para cada pernilongo que eu avistar, nem que meus humanos fiquem loucos. Dengue é uma doença viral aguda, com febre e outros sintomas que a fazem ser confundida fácilmente com gripe. Pode ter uma evolução benigna como pode também evoluir para a sua forma mais letal que é a hemorrágica. Todo cuidado é pouco e não adianta nada você se esmerar e seu vizinho ser um relapso. Todos devem se unir e combater juntos o bom combate. Com a chegada do inverno o ciclo do mosquito fica prejudicado, as ocorrências raream e as pessoas ficam desatentas. Este combate exige atenção constante.

terça-feira, 4 de maio de 2010

segunda-feira, 3 de maio de 2010

MEU IGLU

Respondendo à indagação da gentil leitora, além de postar a foto do meu Iglu, presente da mãe de um dos meus humanos, vou dar algumas explicações. Primeiramente, aqui no hemisfério sul, estamos na segunda metade do outono o que, nesta pacata cidade serrana, significa um bocado de frio. Portanto, é muito bom dormir junto aos corpos quentes dos meus humanos apesar dos percalços já relatados. Por outro lado, estou utilizando meu Iglu para guardar minhas coisas, até por já possuir um bom número delas, mas principalmente por existir um ser humano de nome faxineira, que invade meu mundo semanalmente. É imperioso que eu defenda meu patrimônio contra a invasora... Não é?!
Esta criatura, de vassoura e demais instrumentos em punho, invade minha área feito um furacão, tirando tudo do lugar...E é nestas horas que eu me refugio no meu Iglu com todas as minhas coisas, principalmente meu ratinho de crochê.

sábado, 1 de maio de 2010

Alvorada de cada dia...

Ai meu deus! Cara, que dificuldade que é acordar humano. Eles ficam ali deitados, passam a noite inteira assim. Quando muito roncam e pensam ronronar. Muitas das vezes tenho de me esquivar para não levar um tapa ou uma pernada. É claro que depois de roncar e rolar a noite inteira, com tanta atividade noturna, não querem saber de acordar. Eu me esforço, ando por cima deles, mio diversos tons e tonalidades de miado, todas que eu sei por sinal, chego a dar até leves tapinhas mas às vezes preciso da ajuda do relógio. Ainda bem que a mim eles não tratam que nem o relógio, pois este coitado leva cada tapa que nem sei como ainda é fiel. Mas voltando ao que interessa: eu, por exemplo. EU durmo toda vez que me da vontade e acho um saco passar a noite inteira dormindo, mesmo porque isto lá em casa é quase impossível de tanto que estes humanos se mexem. E quando não são eles é o tal de pernilongo que eu sou encarregado de vigiar. Parece que o outro bicho que deveria fazer isso, a tal de lagartixa, não é muito eficiente. Eu já chamei ela pra esclarecimentos mas ela não desce nem a pau de lá do teto... Quando está para amanhecer tem um bando de passarinho que começa a cantar e eu fico louco para ir lá confraternizar e ninguém entende. É preciso tomar pulso forte e fazer com que abram a porta que dá para a varanda, da qual depois tenho acesso para o telhado da garagem. É claro que eu ainda não consegui nenhum amigo passarinho, pois quando eu chego perto eles saem voando. EU penso que estão a mangar de mim, mas como sou da paz, vou levando na esportiva e aproveito para ir tirar uma com a cara dos cachorros da vizinha. Mas isto fica para uma outra ocasião que agora eu vou lá na minha caixa de areia que meu humano acabou de arrumar. É preciso ir logo jogar metade da areia pra fora, senão o coitado trabalhou a toa e eu não quero subalternos insatisfeitos. Sabe, se você não valoriza o trabalho dos seus funcionários eles podem achar que você não é um bom gato. Inté pra vocês... FUI!