sexta-feira, 22 de abril de 2011

Feriado

 Feriado é dia de bundar.
 Este móvel não foi feito pra mim...
Mas é como se fosse sob medida...

terça-feira, 19 de abril de 2011

Como brincar...

por Helena Jacob

Um mito cerca o mundo dos gatos: aquele que prega que a felicidade de um gato é diretamente proporcional à sua liberdade de ir e voltar da rua. Muitas pessoas alegam que o gato é um ser “livre” por natureza. Mas se esquecem dos perigos que a rua representa: atropelamentos, envenenamentos, agressões de outras pessoas e animais.
Por isso, lembre-se sempre que, se você quer adotar, o melhor a fazer pelo seu gato é mantê-lo seguro dentro da sua casa. “Mas como vou manter meu gato ativo, feliz e magro se ele não pode sair de casa?”. A resposta para essa pergunta é proporcionar uma alimentação de qualidade, que controle o peso do animal, e exercício físico.
O exercício não é um bicho de sete cabeças como parece. Claro que é impossível sair para passear com seu gato, mas você vai ver seu bichano se mexer para ele oferecendo brinquedos. Opções não faltam no mercado, como ratinhos de feltro, varinhas de pescar, bolinhas com barulho e outros atrativos. Outra dica é proporcionar uma companhia felina ao seu gato. Ter dois gatos em casa é melhor do que um, pois eles fazem companhia e brincam um com o outro. 
O mercado pet oferece diversas opções de brinquedos para seu gato se divertir. Os mais procurados são os ratinhos de feltro e as bolinhas com barulho e penas, que eles adoram. Não estranhe se, um dia, encontrar o tal rato de feltro “afogado” em uma bandeja de água ou estraçalhado pela casa. O gato usa, nesse brinquedo, seu instinto de caçador. Não é maldade, é o instinto do animal. Ele se exercita muito fazendo essa brincadeira.
Mas objetos que nem são brinquedos em si, também podem fazer muito sucesso. Qualquer coisa que se movimente vai chamar a atenção do seu felino. Amarre um pedaço de papel em um barbante e arraste pelo chão. Você verá a felicidade do gato perseguindo o papel. Caixas de papelão também são diversão garantida. Servem como brincadeira ideal para um esconde-esconde.
No entanto, a veterinária Rejane Melki, no seu site Beco dos Gatos (www.becodosgatos.com.br), lembra que é importante ficar atento à segurança de qualquer brinquedo brinquedos. “Só dê ao seu gatinho brinquedos próprios para gatos, que não soltem pedaços, lascas, se rasguem ou possam ser engolidos”, afirma. Outra dica de Rejane é oferecer um brinquedo de cada vez, para manter o interesse do animal.
Muitos brinquedos de gatos oferecidos em pet shops contêm a famosa “erva-do-gato” ou catnip. Trata-se de uma erva da família do tradicional hortelã. Segundo os estudiosos e veterinários, o cheiro dessa erva estimula o instinto predador do animal e afeta quase todos os felinos, inclusive leões, pumas e onças. Por isso, o catnip pode deixar o gato bastante agitado e alerta por horas. Após a brincadeira, eles, geralmente, dormem um sono profundo.
Algumas pessoas se assustam com o efeito do catnip, mas estudos acadêmicos provam que a erva é absolutamente segura. Segundo Laudo J.L. Bernardes, diretor de operações da PetPira Produtos Para Animais, em declaração ao site Vida de Cão (www.vidadecao.com.br), a erva-do-gato é considerada uma droga terapêutica para a recreação e controle de stress de felinos, sem efeitos tóxicos e nenhuma dependência física e química. “O maior cuidado com o consumo do catnip deve ser com a procedência; prefira produtos cultivados sem agrotóxicos”, diz Bernardes.
Outra brincadeira muita apreciada e que pode ser útil para preservar os móveis da sua casa são os arranhadores ou postes de arranhar. Há vários tipos e tamanhos disponíveis no mercado. Trata-se de brinquedos com postes revestidos de sisal e caminhas e casinhas de carpete para o gato dormir e brincar. O sisal e o carpete atraem os gatos, que afiam as unhas nesse material, distraindo sua atenção de sofás e tapetes. E tudo isso vira uma grande diversão para os felinos. 


domingo, 17 de abril de 2011

Sem palavras...

http://br.taringa.net

quinta-feira, 14 de abril de 2011

sábado, 2 de abril de 2011

Eu sou família!

E este é meu atestado, documento e prova inequívoca do que digo. Há, no entanto, certa controvérsia pelo fato do gato do adesivo não parecer em nada comigo. Eu explico: trata-se de adesivo conceitual, destes que se adquire pronto, apenas para entendimento das massas. Só isso. Nada pessoal, entende? 
Ou você acha que meus humanos possuem este sorriso débil, como estes dai?